Diário de Escrita #10 – TERMINEI O LIVRO! ou A importância de um editor

Olá amigos, trago boas notícias.
Sem fazer muito suspense, o negócio é o seguinte: TERMINEI DE ESCREVER O LIVRO!!!!

giphy1

Depois de uma longa jornada de quase um ano escrevendo, ontem eu coloquei o último ponto final da história. Escrevi o último parágrafo. Coloquei no papel a última frase (que eu já sabia qual seria desde o começo disso tudo).

Foi um momento importante para mim mas fui pego de surpresa quando não me vi pulando de felicidade. Não rolou aquele momento de enfiar a cara no travesseiro e chorar de alegria. Diferente de tudo que eu imaginei, esse não foi o momento mais incrível de todos os tempos.

Pra falar a verdade, a primeira coisa que eu pensei ao terminar de escrever foi “Puta merda, tem muita coisa pra melhorar agora.”

giphy2

O texto que terminei ontem foi a primeira versão da história. A versão que eu escrevi na empolgação, muitas vezes no desespero. Movido pelos prazos da editora e por umas canecas de café com tanto açúcar que a borda ficava melada.

E, como já era de se esperar, esse texto não está 100% bom. Claro que não está um lixo, né? Eu amo a minha história, amo meus personagens e, caso contrário, eu nem estaria me dando ao trabalho de escrever. Mas tenho muita coisa para ajustar, algumas cenas para cortar, outras para reescrever do zero. E o trabalho que isso vai me dar às vezes tira o meu sono.

Agora é a hora de falar sobre uma coisa muito importante para mim durante todo o processo: a presença de um editor.

Antes eu preciso deixar claro aqui que a minha situação como autor não é igual a de todo mundo. Muitos autores independentes não têm um editor logo de cara, para ajudá-los durante o processo de escrita. Eu estou numa situação de privilégio e tenho total consciência disso.

Meu privilégio se chama Sarah. Ela é uma das editoras da Globo Alta e também a responsável por me acompanhar desde o comecinho, lendo os capítulos que eu envio mensalmente e pontuando tudo que ela pensa do ponto de vista editorial e também do ponto de vista de leitora.

Ela se empolga junto comigo, mas também abaixa minha bolinha quando mecessário. E ter a presença da Sarah como editora durante todo o processo me ajuda a ficar mais tranquilo agora que preciso escrever a versão REAL OFICIAL do livro. Ao longo dos últimos meses ela me ajudou pontuando várias coisas que eu posso fazer para melhorar.

“Vitor, essa frase tá bonitinha mas é clichê.”
“Vitor, essa cena tem uma carga dramática que na página seguinte não serve para absolutamente nada.”
“Vitor, pare de ser viciado em fazer os personagens CHORAREM EM TODOS OS DIÁLOGOS! AS PESSOAS NÃO CHORAM TANTO ASSIM NA VIDA REAL!!!!”

giphy3
eu lendo os e-mails da editora

Mas é claro que ela diz tudo isso de um jeito fofo, e sempre sugerindo maneiras para melhorar.

E esse tipo de crítica vem junto de um “você está no caminho certo e eu já estou empolgada para os próximos capítulos”. E essa é a melhor parte desse processo todo.

Saber que existe gente no mundo ansioso pra ler mais do que eu tenho para escrever.

Resumindo: A história está finalizada, mas a revisão vai me dar um trabalho dobrado. Eu ainda não tenho ideia de quando o livro já estar aí bontinho na estante de vocês, mas agora falta bem menos do que faltava quando eu comecei esse diário de escrita.

E no final disso tudo, espero conseguir encontrar uma história redondinha, bem escrita, com personagens reais que não choram tanto quanto eu.

Porque ninguém aguenta personagem chorão.

2 comentários em “Diário de Escrita #10 – TERMINEI O LIVRO! ou A importância de um editor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s